04 ago
2016

Qual a melhor escola para o seu filho?

Um dos maiores dilemas na vida dos pais sem dúvida é quanto a escolha da melhor escola para seus filhos, e hoje existem inúmeras opções para que se decidam!

Existem escolas bilíngues, construtivistas, montessorianas, Waldorf, tradicionais… são tantas que é normal que se sintam um pouco (ou muito) confusos!

Então, quando a Thalita me convidou para escrever a coluna de Pedagogia no blog e me contou que estava em dúvida em relação a escolha da melhor escola pro Gabriel, decidi começar esclarecendo os tipos de escolas x metodologias.

Vamos conhecer um pouquinho de cada uma?

Escola Construtivista

Nas escolas construtivistas, ou piagetianas, o conhecimento é construído pela criança. Ou seja, não é algo passivamente recebido por elas através do professor ou do ambiente. O trabalho em grupo é bem valorizado, assim como o tempo único de aprendizado de cada uma.

Jean Piaget (filósofo e psicólogo) estudou como as crianças entendem o mundo e, a partir destes estudos, alguns especialistas criaram este método que é muito utilizado hoje em dia, onde a escola deve acompanhar a curiosidade da criança, propondo atividades com temas que a interessassem naquele momento, sem se prender a um currículo rígido.

Ou seja, o construtivismo propõe que o aluno participe ativamente do próprio aprendizado, o conhecimento é “descoberto” pela criança mediante a experimentação, a pesquisa em grupo, o estímulo à dúvida e o desenvolvimento do raciocínio. Ele rejeita a apresentação de conhecimentos prontos e acabados ao aluno e enfatiza a importância do erro, como um percursor da aprendizagem.

Escola Waldorf

A pedagogia Waldorf foi desenvolvida em 1919 por Rudolf Steiner, onde o desenvolvimento de habilidades artísticas, musicais, de movimentação e de dramatização são considerados extremamente importantes. Cada aluno é considerado um ser único! As crianças são divididas em faixas etárias e não em séries, pois acredita-se que a educação deve ser totalmente dedicada às necessidades do desenvolvimento de cada uma. O aluno waldorfiano estuda sempre com a mesma turma e como o ritmo biológico não pode ser alterado, não há repetência.

São valorizados:

  • o amor pela natureza: geralmente as escolas Waldorf têm uma área verde grande, onde podem aprender sobre agricultura e origem dos alimentos;
  • a inteligência manual: as crianças são incentivadas a participarem de oficinas criativas onde a importância da educação artística é dada através do ensino de atividades práticas, tais como o tricô, por exemplo. O trabalho manual tem um valor educativo elevado já que a coordenação mãos-olhos mantém o cérebro em grande atividade;
  • os contos de fadas: além de representarem um patrimônio cultural inestimável, representam um instrumento essencial para o crescimento das crianças, com suas histórias de obstáculos e provações que desenham as etapas da viagem que a criança terá de enfrentar na vida. Os contos de fadas dão conforto às crianças e contribuem para o desenvolvimento da imaginação e da compreensão das suas emoções.

Na idade pré-escolar, as crianças vivem uma fase de experimentação do mundo onde o aprendizado se realiza através da imitação. O ideal seria que, nesta idade, as crianças estivessem com seus pais e irmãos no contexto familiar, convivendo com a natureza e com os afazeres normais de uma casa. Assim a escola, nesta fase, tenta aproximar-se desse contexto, trazendo para a sala de aula o ambiente da casa, com as suas atividades cotidianas e com a variação de idades que é comum em uma família.

Montessori

Para Montessori, o ensino deve ser ativo! A criança desenvolve um senso de responsabilidade por seu próprio aprendizado. De acordo com Maria Montessori, o centro da aprendizagem é a própria criança que, com sua curiosidade natural, explora e dá ainda mais vazão à sua necessidade de aprender se tiver à sua disposição um ambiente adequado, variado e estimulante.

As salas de aula Montessori são um pouco diferentes do que estamos acostumados. Ela é dividida em vida prática, sensorial, artes, matemática, linguagem e educação cultural (história, geografia, educação cósmica). Os materiais são colocados a altura facilmente alcançáveis pelas crianças. Também é importante ensinar a criança a arrumar cada brinquedo em seu lugar depois de tê-lo usado.

Este método da muito valor a liberdade de escolha. Acredita-se que as crianças aprendem e absorvem muito mais informações quando são deixadas livres para fazerem suas próprias escolhas. As crianças devem ser livres para escolherem os materiais, os brinquedos e as ferramentas que preferirem usar em cada etapa de seu crescimento, pois, cada experiência é uma oportunidade de aprendizagem. Porém, não se pode confundir liberdade de escolha com falta de regras.

A aprendizagem das crianças, de acordo com esse método, se dá especialmente através de atividades práticas durante os anos pré-escolares, estas atividades ajudam o seu filho a estimular os sentidos do tato, visão e audição, essenciais para aprender a ordem, a concentração e a independência. As crianças ajudam a limpar a casa, a prepararem o lanche, cuidam da horta e até mesmo costuram com uma agulha não pontiaguda.

Nas escolas montessorianas, as crianças estão distribuídas em diferentes classes com crianças de diferentes idades, tornando isso mais um estímulo para a aprendizagem. Por exemplo, as crianças mais jovens ficam intrigadas com o que as mais velhas fazem e pedem ajuda a estas. Por sua vez a criança mais velhas ficam felizes em ensinar o que elas já sabem e que já aprenderam.

 

Tradicional

É o tipo mais comum de escola, onde nós aprendemos, estudamos e crescemos! O professor ensina e o aluno aprende passivamente. Na escola clássica tradicional tem lição de casa, provas e aquele conteúdo básico que prepara o aluno desde sempre a passar no vestibular.

A Escola Tradicional caracteriza-se por não permitir o questionamento das autoridades. O professor transmite um saber fragmentado, desfocado do contexto, enciclopédico. Preocupa-se com a memorização e repetição dos conteúdos.

Os materiais didáticos resumem-se aos livros-texto, com muitos conteúdos e informações conceituais. A avaliação tem a função de controlar a aprendizagem, e o único instrumento utilizado são os exames, pois estes refletem a capacidade de retenção e acúmulo de conhecimento memorizado pelos alunos. A questão pedagógica é aprender.

O conceito de ensino é transmissão de conhecimentos, instruções, repasse de conteúdos prontos, e aprender é memorizar e acumular informações . O método utilizado baseia-se em aulas expositivas e explicativas. O professor fala aquilo que sabe sobre determinado assunto e espera que o aluno saiba reproduzir o que ele lhe disse.

 

Bilíngue

O bilinguismo tem ganhado força nos últimos anos e, hoje em dia, muitas escolas afirmam serem bilíngues, mas cuidado! O que é ser uma escola realmente bilíngue? Isso pode variar…

As escolas bilíngues de imersão possibilitam as crianças a vivenciarem a língua estrangeira em seu dia a dia. Os pequenos são inseridos em um ambiente no qual os profissionais utilizarão a língua em questão o tempo todo, nas aulas, atividades, lanche e parquinho.

Então todas as escolas bilíngues são de imersão? Não. Algumas escolas tem o programa de línguas diariamente, onde a criança é exposta ao inglês uma hora por dia, mas não o tempo todo.

Outra pergunta que afligem os pais é: mas, o meu filho vai entender o inglês? Sim!

Estudos mostram que quanto mais cedo a criança for inserida no ambiente bilíngue, melhor!  É preferível desenvolver bilinguismo em crianças menores porque é uma forma natural para aprenderem dois idiomas ao mesmo tempo. Até os 3-4 anos, a criança não terá dificuldade nenhuma em se adaptar a nova língua; depois disso, ela pode se mostrar um pouco relutante e a adaptação pode demorar um pouco mais. Lembre-se, o cérebro dos pequenos é igual uma esponjinha, absorve tudo!

Mas, eu não sei falar em inglês, isso vai atrapalhar o meu filho ou a sua aprendizagem? De jeito nenhum!

O seu filho já vai estar inserido em um ambiente bilíngue! Se você quiser colocar filmes ou músicas em casa, eles vão adorar! Alguns canais do youtube podem ajudar: Super Simple Songs, Mother Goose Club, Kids TVNursery Rhymes And Children’s Songs.

Bilinguismo não é uma metologia educacional como as que acabamos de ver, ou seja escolas bilíngues podem ser montessori, tradicional, construtivista, etc. Tenha em mente o que mais lhe agrada e faça a sua escolha de forma consciente. 

 

Mas, qual é a melhor escola para o meu filho?

Sinceramente… a que você se sentir mais seguro e confiante!

Cada metodologia, cada tipo de escola possui o seu valor. A família deve se conhecer e conversar sobre o assunto, se não acreditarem e confiarem na escola e no tipo de ensino então certamente não será a melhor escolha.

Se o seu filho já tiver idade e entendimento experimente perguntar o que ele achou da escola, leve-o para conhecer as opções, faça ele ser parte desse processo. Um bom método é  importante, mas uma escola acolhedora e aconchegante também é!

0 comentários
compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *